Conteúdo, relacionamento e tempo: uma fórmula que vai além do lançamento do seu e-commerce

Fórmulas e mais fórmulas. O marketing dito “digital” tem mostrado uma enxurrada de fórmulas de sucesso, de lançamentos, de divulgação e, como consequência, um grande número de “especialistas” em aplicar estas fórmulas “mágicas” surgiu. Há infinitos conteúdos, coaching, mentorias, e-books, teorias, funis, CRMs etc. Mas, como diz o grande poeta, “no meio do caminho tinha uma pedra”. Afinal, o que define uma boa divulgação de marketing para o seu e-commerce?

“Qual é que é, velhinho”

O Marketing, antes de ser digital, era apenas o bom e velho “marketing” (sem saudosismos, por favor). E é velho mesmo, ou melhor, experiente. O ato de convencer alguém e efetuar uma “venda”, seja de um produto ou de um pensamento, data de bem longe, lá no berço da civilização com os povos babilônicos, sumérios e egípcios, há aproximadamente 4 mil anos. Obviamente, dada as devidas proporções e condições estruturais, estes povos já atuavam com marketing. Na Grécia antiga, os debates entre os sofistas pode ser um outro exemplo de marketing que, nas devidas proporções, tratava-se de uma exposição de ideias, na tentativa de convencer e atrair um público.

Hoje há uma certa dissonância conceitual no termo “marketing digital”. Na verdade, apropriar-se da palavra “digital” apenas no sentido de diferenciação, até que faz sentido. O grande problema é que nunca se viu tanta falta de sentido quando o que está em foco é a prática do marketing, no qual o “digital” nada mais é do que o meio (no sentido de suporte, plataforma), onde a publicidade será efetuada com menos custos de implementação e com a velocidade da internet.

O fato é que as estruturas que hoje se falam tanto, como por exemplo, funis de vendas, já existem desde a década de 50, porém aplicadas de “porta em porta”, com papel e caneta. Há uma grande diferença entre saber aplicar estruturas (independente do suporte, seja digital ou não) com apenas cair de “paraquedas” em um software de automatização “super mega power” e ficar mais perdido do que cego em tiroteio.

Sem falar que, no que tange aos softwares de automatização de marketing, um mercado imenso foi criado em torno da premissa de que, basta você saber certas regras e desenvolver algumas habilidades que voilà!, você é um marqueteiro. É preciso um certo cuidado. Os softwares são, sim, excelentes ferramentas, mas como toda ferramenta, cabe ao usuário saber usa-la de forma a obter os melhores resultados.

Cadê a verba que estava aqui? Sumiu!

Sumiu e ninguém viu. Sumiu e ninguém sabe para onde foi. Esta é uma incômoda verdade (daquelas que o cliente não pode saber) e que vários profissionais de marketing precisam maquiar com palavras difíceis, gráficos coloridos e jargões, afinal, eles são os “especialistas da fórmula mágica”.

O SiteMercado, empresa especializada em e-commerce para supermercados, possui uma filosofia de simplificação dos processos de marketing. Fred Lopes, responsável pelo marketing do SiteMercado, comenta que “campanhas de marketing podem gerar grandes resultados, desde que sejam coerentes, de simples entendimento do cliente e com objetivos bem definidos“.

Simplificar processos é uma das diretrizes do SiteMercado, em várias áreas da empresa. Com a publicidade e marketing esta clareza nos processos é ainda mais crucial, pois o cliente investe em publicidade e precisa ter um entendimento fácil. “No meio desta confusão de termos e novidades, quem perde é o cliente, que é quem investiu e não consegue ter clareza sobre o retorno. Portanto, nós do SiteMercado buscamos ao máximo simplificar os processos, pois assim fica mais simples mensurar e prestar conta do resultado na divulgação da sua loja online, com o foco no planejamento, conteúdo, relacionamento e tempo”, finaliza Lopes.